documentos faculdade no exterior

Os 6 documentos mais importantes para sua pós-graduação na Europa e por que você precisa deles

Os 6 documentos mais importantes para sua pós-graduação na Europa e por que você precisa deles

 

Fazer uma pós-graduação no exterior pode parecer complicado ou até mesmo burocrático. Mas se eu te disser que você já tem todos os passos para estudar fora do Brasil? Você acredita? Eu vou te mostrar em alguns minutos como você mesmo pode preparar os documentos do jeito certo e ingressar na faculdade e universidade dos seus sonhos na Europa. 

Sim, você vai aumentar e muito as suas chances de ingresso em um mestrado, pós-graduação ou doutorado com as dicas aqui descritas. Acredite, apresentar a documentação correta faz você economizar tempo e dinheiro em todo processo. 

O Processo de Inscrição

 

A maioria das universidades oferece um processo seletivo totalmente online. Está aí, disponível para todos. Entretanto, como e quais documentos devem ser apresentados? Será que devo autenticar todos eles?  Devem ser apresentados em inglês?  Existe uma entrevista, uma prova para o ingresso? 

Geralmente, o processo seletivo é totalmente documental, ou seja, baseado na qualidade do que é apresentado às instituições. O conteúdo é o que importa e coordenadores acadêmicos e professores tomarão decisões ao seu respeito baseado no que estiver escrito. Suas palavras aqui valem ouro!

Nuances burocráticas 

 

Normalmente, documentos são apresentados em .pdf e sem uma validação formal. Contudo, algumas instituições podem solicitar um apostilamento internacional, como a apostila de Haia ou pedir que a documentação seja submetida por correios após o processo online. Tudo depende da universidade. Mas posso afirmar que em 90% dos casos tudo é feito online, sem muita formalidade. 

Todos os documentos precisam ser apresentados em inglês e tradução dos mesmos pode ser apresentado de maneira bem simples. Uma empresa de tradução faz isso para você sem grandes custos. Não há necessidade de “juramentação”. Assim você poderá economizar bastante no processo. 

Vamos juntos rever os documentos

Veja abaixo os documentos mais importantes, exigidos por quase todas as instituições de ensino superior fora do Brasil, sobretudo na Europa. A preparação adequada fará a diferença na sua aceitação.  

 

  • Histórico Escolar 

 

Este é o documento acadêmico mais relevante para sua admissão. Na Europa, universidades vão observar particularidades importantes, tais como a média geral no seu curso de graduação (o famoso coeficiente de rendimento, CR), as disciplinas cursadas e a carga horária do curso. As instituições de maior prestígio buscam excelência acadêmica, o que se traduz em notas altas durante o se programa de graduação.  Bolsas de estudo e descontos poderão ser oferecidos baseados do seu desempenho acadêmico. 

Se ainda está na graduação, foque em notas mais altas para que suas chances de admissão e benefícios em uma universidade do exterior também aumentem.  

 

  • Certificado de Conclusão de Curso

 

Apesar de não ter a mesma relevância do histórico escolar, algumas instituições exigem o seu diploma para verificarem a equivalência do curso dentro do sistema de ensino local. Como regra geral, os bacharéis e licenciaturas concluídos no Brasil dão acesso a cursos de pós-graduação fora. Já os cursos Tecnólogos podem não ser aceitos no exterior devido a uma diminuída carga horária. Veja este vídeo que explica bastante sobre o tecnólogo. 

 

  • Cartas de referência

 

Universidades britânicas e americanas são notórias por sua exigência neste aspecto. Boas referências significam maiores chances de aceitação. Referências precisam ser exclusivamente acadêmicas ou profissionais. Peça ajuda a um de seus ex-professores da graduação ou alguém superior hierarquicamente a você na sua empresa. Lembre-se: cartas de referência são individuais e devem ressaltar as suas competências acadêmicas e profissionais e como elas te fazem um excelente candidato para o curso que postula. Aquelas cartas clichés emitidas por departamentos de RH não são adequadas. 

 

  • Personal Letter/ Personal Statement/ Carta de motivação

 

Este é o documento, na minha visão, mais importante no seu processo de admissão, sobretudo em universidades de prestígio. Aqui é o lugar para você vender o seu peixe. Essa carta é tão poderosa que, dependendo do seu conteúdo, pode te dar uma bolsa de estudos ou um baita desconto imediatamente.  

A cata demonstra o seu domínio no idioma local e ressalta o seu poder de comunicação. E por que isso é relevante? O leitor desse importante documento são acadêmicos, diretores e coordenadores de cursos. Se isso for mal escrito com ideias desorganizadas, subentende-se que você terá dificuldade de acompanhar o programa e possivelmente será desqualificado do processo.  Universidades mais bem conceituadas levam isso bem a sério.

Se por as ideias no papel é uma dificuldade para você, saiba como escrever uma carta de motivação neste arquivo.  Você vai entender todos os passos. 

 

  • Currículo Profissional – CV

Suas experiências profissionais podem valer mais que o seu curso acadêmico. Sim, poderá ser admitido em uma pós sem, até mesmo, ter uma graduação completa. Mas como isso é possível? Universidades na Europa zelam por qualidade e excelência profissional, pois instituições são ligadas a vários setores da indústria local. 

Há também processos de admissão baseado em suas experiências previas, as quais alavancam suas chances em cursos com programas de trabalho. 

Observe também a linguagem e as nuances de um currículo apresentado na Europa. 

Quer entender como montar um currículo para ser admitido na sua faculdade

o vídeo, CV nas universidades europeias vai te ajudar bastante.  Você pode até mesmo baixar um modelo grátis!

 

  • Exame de proficiência

 

O português está longe de ser uma língua internacional e, portanto, uma segunda língua é fundamental. A língua inglesa oferece excelentes oportunidades na Europa, Ásia e América do Norte. Países como Holanda, Suécia ou Dinamarca apresentam o mesmo número ou até mais cursos oferecidos em suas universidades através da língua saxônica. 

Os exames mais aceitos são o IELTS Academic ou TOEFL IBT. Com estes você pode estudar em quase todas as universidades cujos cursos são ministrados em inglês em qualquer lugar do mundo.  É um tiro certeiro. 

Há mais documentos? 

 

Os documentos acima são exigidos por praticamente todas universidades no exterior, sobretudo na Europa. Você poderá encontrar ainda exames mais específicos, como o GRE (teste de aptidão) GMAT (área de negócios) ou o SAT, ACT, AP, (exames para entrada em graduações nos EUA). 

Em alguns casos precisará validar seu diploma junto a órgão profissionais específicos do país de escolha. Mas tudo depende da universidade e país que escolherá para sua pós-graduação.  

Cada indivíduo é diferente. É importante entender as suas qualificações e experiências para explorar as suas possibilidades. Qual curso e onde vai estudar? Já tem os documentos prontos? Conte para gente aqui nos comentários.   

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima